foto01

Marcelo Cascata

“Uma raquete na mão, pernas e coração!”. É assim que Marcelo Rebelo mais conhecido como “Cascata” define esse fantástico jogo chamado tênis.

Desde o começo teve como maiores incentivadores seu pai e sua família, começou a jogar tênis com 6 anos de idade, com o treinador Carlinhos Alves. Treinou na Equipe Ceval, que mais tarde se tornou ícone em Santa Catarina, e também no Porto em Portugal.

No circuito juvenil mostrou todo o seu potencial aparecendo diversas vezes como número 1 do país, conquistou diversos torneios importantes como a Copa Gerdau e duas vezes o Brasileirão. Se manteve muito regular durante todos os anos que jogou e sempre impressionou por ser um jogador de muito raça e extremamente determinado.

Larri Passos além de ser o técnico que ele cita como referência, foi seu treinador durante sua carreira profissional. A equipe comandada por Larri era formada por Guga, Marcio Carlsson, Bocão e Cascata. Encerrou sua carreira em 1994 com 21 anos na posição de 623 de simples e 435 de duplas, e esteve presente em várias semifinais de simples em torneios Challengers e também em diversas finais de Duplas.

Apesar da curta carreira como profissional, sempre se mostrou muito maduro e preparado como treinador e técnico. Trabalhou com juvenis que se destacaram como Diego Cubas, Bruno Rosa, João Vitor Fernandes e Marcelo Melo. Formou dezenas de atletas tenistas que já fizeram ou fazem Universidade jogando tênis no extreior. Foi mais de uma vez campeão Sul-americano como capitão da equipe juvenil brasileira e também foi técnico da equipe no mundial.

Como sempre foi reconhecido por sua postura de guerreiro na quadra, ele valoriza todas as partes que formam um verdadeiro jogador: “Tênis é um esporte sensacional onde a força física e a técnica são inúteis se a cabeça não estiver funcionando, ou seja, praticando tênis uma pessoa não só está exercitando sua capacidade física, mas também a parte intelectual. O tênis nos da força para ter uma boa vida, corpo sadio e a mente sã.”.

Natural de Florianópolis, nascido em 5 de maio de 1973 e tem três filhos, Diego, 14, e Daniel, 8 e uma menina bebê de 6 meses. Ele foi o fundador e coordenador do projeto “Sacando para o futuro”, que atendia mais de 500 crianças da rede estadual de ensino, também coordenava o Instituto Lagoa Social (patrocinado pela Dunlop).

Recentemente deixou o cargo de capitão e coordenador da equipe feminina brasileira de tênis da FED Cup pela CBT para dedicar-se exclusivamente aos seus dois centros de treinamento de alto rendimento em Florianópolis.

Possui em sua equipe mais de vinte novos talentos infanto juvenis e adultos trabalhando forte na busca pela profissionalização ou tenistas que almejam um bom ranking visando uma Universidade Top no exterior.

Cascata leva consigo uma filosofia de amor e gratidão ao esporte, e reconhece que o tênis pode mudar a vida de uma pessoa e tem grande peso sobre a formação de caráter: “Minha vida se confunde com o tênis, às vezes paro pra pensar e vejo que quase 100% de minhas experiências vividas são relacionadas ao tênis, sendo assim, acabei percebendo que hoje, o que sou como pessoa se deve em grande parte ao que este esporte maravilhoso nos ensina e além de tudo nos prepara para novas percepções para sermos um campeão no esporte e na vida!”.

Ao longo desses anos Marcelo Cascata Rebelo tem colecionado muitos títulos como treinador e tem influenciado na formação muitos jovens atletas no Brasil. Guga Kuerten alguns anos antes de finalizar sua vitoriosa carreira profissonal e quando esteve por um tempo afastado de Larri Passos (quando Larri cuidava de assuntos pessoais) escolheu Cascata como seu treinador. Guga reconheceu que o nome do Cascata era uma referência forte e positiva para ajudá-lo dar seguimento a um treinamento competitivo.


 
Veja outros técnicos